quinta-feira, 31 de agosto de 2017

vivendo no velho continente

Ultimamente várias pessoas têm me pedido para falar sobre como é a vida fora do Brasil e, apesar de não ser muito o foco do blog, fiquei pensando no que poderia escrever. Cheguei a conclusão de que eu não encontro muito o que dizer a respeito disso porque a vida é bem mais comum do que a maioria das pessoas pensam. Por que isso acontece ?



Talvez a vida de turista e intercambista seja quase uma "ilusão" ou pelo menos uma versão mais romantizada da vida no exterior.
Eu amo ler textos de turistas e intercambistas que vem pra cá ou qualquer outro lugar do mundo. Tudo parece mágico, tudo acontece de um jeito tao incrível. É uma delícia pois você vive em função da exploracao do diferente. Mas turistar ou fazer intercâmbio é bem diferente de imigrar sem data de retorno para viver uma vida típica de adulto. 

Quando você vai morar em um novo país de mala e cuia, vai para arrumar emprego, alugar seu apê, pagar contas no banco, fazer compras, lavar roupa, consertar móveis, alimentar e vacinar o gato etc, sua vida é a vida de um adulto como em qualquer lugar do mundo. Você tem rotina como qualquer outra pessoa. Você vê todo dia as mesmas pessoas, passa pelas mesmas ruas, vai aos mesmos estabelecimentos comerciais, todos os anos vê os mesmos eventos se repetirem; uma vida parecida com a de milhões de outros adultos no mundo. Então você não acorda todo dia e abre a janela pensando "nossa, estou na Alemanha/Suécia/Austrália/whatever".

Tudo se torna parte da sua rotina e algo que pode chamar muito a atenção de um turista, para você é só mais uma coisa comum e rotineira. Na verdade eu passei a me forçar a aproveitar mais essa rotina, mesmo as coisas mais simples e pequenas e não deixá-las passar. Essa é inclusive uma das razões que me levaram a fotografia. Fotografar me faz focar nos detalhes do cotidiano.



Mas além da vida ter sua rotina como em qualquer lugar do mundo, aprendi que pessoas são pessoas em qualquer lugar do mundo também.
Aqui eu fiz amigos dos quatro cantos do planeta, do Marrocos a Rússia, além dos locais, claro. É incrível como podemos ter hábitos muito diferentes mas no fundo somos tão parecidos. Estamos todos tentando ser felizes, tentando nos encaixar em algo, encontrar nosso espaço. Enfrentamos problemas similares, sentimos dores parecidas. Amamos e sofremos da mesma forma.

Isso também me ensinou a esquecer os estereótipos. Alemães frios, pontuais e metódicos? Cansei de ficar esperando alemão atrasado, lidar com sua desorganização. Não vou nem mencionar os jeitinhos que eles dão para burlar as coisas. Ah e tudo que eu sabia sobre os marroquinos era o que eu tinha visto na novela o clone haha. Na vida real os que conheci são muito diferentes daquilo.

A verdade é que em todo lugar existem pessoas com muito amor, mas também pessoas sem um pingo dele. Existem pessoas muito honestas, mas também desonestas. Existem aquelas que se encaixam em estereótipos, mas na realidade a maioria não se encaixa e é bem mais plural do pensamos. Isso também faz com que eu não veja as pessoas pelas suas nacionalidades. Eu não tenho um amigo russo, um canadense ou japonês. Eu tenho o amigo fulano. Porque não dá para pensar em nacionalidades na vida real. São apenas pessoas.

Essas coisas fazem com que a vida por aqui seja tão comum quanto seria no Brasil. A rotina é comum, as pessoas são comuns. É tudo perfeito? Absolutamente não. Você vai ser sempre estrangeiro. Sempre. Isso pesa às vezes. Você vai levar muita paulada da vida por ser estrangeiro, vai ter momentos de indignação e tristeza. Vai rir e chorar muito. Mas acaba que até levar paulada vira parte da sua vida "normal". Você aprende a endurecer, se impor sempre que possível. A vida te dá um tapa e você devolve.

Uma das lições mais importantes que aprendi é que você precisa fazer as coisas mesmo que tenha medo de fazê-las. Você vai aprender que é mais forte e mais capaz do que imagina. Vai lá e faz, mesmo que por dentro você esteja desabando, por fora seja firme. Imigrar e assumir uma vida adulta "no país dos outros" é isso. Não é viver sempre o encantamento da vida turística, mas é crescer muito como pessoa.

18 comentários:

  1. Vanessa, perfeito o seu post. De fato, imigrar, morar num outro país permanentemente, é uma situação diferente de simplesmente viajar a passeio ou fazer um intercâmbio por um curto período de tempo. Pra mim, ainda tem um pouco desse romantismo de "putz, moro na Irlanda" às vezes, principalmente em mudanças de estação, como agora que já estamos vendo as folhas das árvores alaranjarem. Mas a questão de ser estrangeira de fato é o que sempre pesa. Porque nada te deixa esquecer que você é estrangeira e por mais que more fora do Brasil pelo resto da sua vida, sempre será estrangeira.

    Em tempo, suas fotos são lindas!

    Barbaridades

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente. Nem mesmo se você adquirir a cidadania local você será visto como um local. A cidadania te traria facilidades, mas não mudaria a forma como a sociedade te vê. Você sempre será estrangeiro.

      Ah e obrigada pelo elogio as fotos! Fico muito feliz que tenha gostado :D

      Excluir
  2. Esse era exatamente o post que eu precisava <3 Vou me mudar no próximo ano e primeiro veio a euforia (que ainda tá aqui) e depois o pensamento de como vai ser difícil estar num lugar assim sem ser apenas uma viagem com data pra voltar. Mas teu relato aqueceu meu coração. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz, querida ❤
      Força pra você nessa mudança e vai dar tudo certo!

      Excluir
  3. Texto muito bom, Vanessa! Só li verdades :)
    Isso me fez lembrar também no comecinho quando mudei pra Irlanda, lembro que fiz um post contando alguns desabafos, como estava em uma época não muito fácil.. e recebi um comentário de mais ou menos do tipo ''nossa, você mudou de país e isso me fez pensar que podemos mudar mas continuaremos com certos problemas''.. E fiquei pensando, que muita gente achar que sair do Brasil seus problemas automaticamente se resolvem. Na verdade, você ganha é outros. Nenhum lugar é perfeito e mudando sem volta, você tem sua rotina e aqueles mesmos problemas de vida adulta que todo mundo enfrenta.
    Cheguei aqui agora mas já gostei do seu blog, já vou seguir no bloglovin pra acompanhar :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, exatamente isso. A vida em nenhum lugar é férias eternas.

      Ah Obrigada por seguir 😁

      Excluir
  4. Tem muita gente que acha que mudar permanentemente para um país é deixar todos os problemas e preocupações para trás.
    Acho que isso da rotina é tipo aquela pessoa que mora de frente para a praia e nunca vai a praia.
    É bem legal saber esse seu lado de morar fora e que nem tudo é igual nas novelas.

    ResponderExcluir
  5. é bem legal saber esse outro lado, por mais que não seja o foco do blog. eu também, tudo que sei de marroquinos, indianos e afins foi a partir das novelas, hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha essas novelas enganam a gente direitinho 😁

      Excluir
  6. rotina é rotina, né? seja no país que você nasceu, ou em qualquer outro país que decida morar. amei seu post sobre isso <3

    ResponderExcluir
  7. Eu até meio que gosto da rotina, gosto mesmo, acho que viver em outro país seria rotineiro também, seria muito bom, mas fico imaginando que eu preferiria viajar por vários lugares, e acho que mesmo assim viraria rotina. Resumindo, eu gosto da rotina hahah
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eubgosto de rotina, mas até certo ponto haha.

      Beijos

      Excluir
  8. Aaa e amei muito esse textinho e como você escreveu sobre essa rotina fora do Brasil que a gente insiste em romantizar. Amei mesmo e quero mais, e quero que você nos faça uma visita, nem que seja um diazinho haha
    beijo beijo
    Neoguedes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morro de saudades do Brasil. Espero poder visitar em breve 😁 a última vez que fui foi ano passado e nossa, só de pisar lá me senti em casa! Nada se compara ao nosso país.

      Beijos

      Excluir
  9. Adorei o artigo e estou a adorar este blog, cheio fotos lindas!! Só o descobri esta semana e tenho muita pena de não o ter conhecido mais cedo! Muitos parabéns! Beijinhos de Portugal *

    ResponderExcluir
  10. Adorei teu post. Moro fora do Brasil há quase 3 anos e adoro a rotina que tenho aqui que é bem diferente da que tinha no Brasil. Tento não perder o olhar de turista e direto descubro lugares novos para conhecer. Porém, adoro a rotina, ficar em casa e tal e acabo não explorando tanto pq fico com preguiça de sair hahaha. Sinto saudade das pessoas e da comida, mas não de morar no Brasil.

    ResponderExcluir
  11. Oi Vanessa, tudo bem flor?
    Seu texto disse tudo. Nunca tive a experiência de morar fora. tenho muita vontade, mas não de morar permanentemente. Tenho vontade de morar só por um determinado tempo e depois voltar. E sempre imaginei que não é algo tão simples e lindo, afinal a rotina de adulto não é maravilhosa o tempo todo. Há os problemas, as dificuldades, e acredito que estando longe de "casa" isso é algo ainda pior por algumas coisas que você citou no seu texto.
    Gostei de mais de saber um pouquinho mais de como é viver de verdade fora do país, e sinceramente, relatos assim fazem com que coloquemos nossos pés no chão, pois o que mais temos nesses tempos são pessoas mostrando uma realidade que não existe.
    bjus flor,
    Amanda Almeida
    http://blog.amanda-almeida.com.br/

    ResponderExcluir

Safelight-room © , Todos os direitos reservados. Layout base por Sadaf F K. com modificacoes feitas por mim, Vanessa S.