sexta-feira, 16 de junho de 2017

Ida a Praga - Parte l



Há tempos eu estava querendo visitar Praga, mas sempre acontecia algo e essa viagem era adiada. Mas finalmente consegui ir a essa cidade encantadora!
Para quem mora ou está hospedado na Alemanha, a maneira mais prática de chegar a Praga na minha opinião, é de trem. Claro que dá para ir de carro e é até um pouco mais rápido, mas encontrar lugar para estacionar em Praga pode ser um pesadelo. O bilhete de Dresden a Praga custa em média 20 euros. Já de Berlin a Praga em média 45 euros.

Eu adoro viajar de trem e recomendo. Ah achei engraçado que dá pra notar quando você cruza a fronteira pela língua que você escuta no trem. Aliás, nunca tinha escutado tcheco antes, achei que parece um russo mais suave. Me parece que a sílaba tônica das palavras é sempre a última. 

Bem, mas vamos falar sobre a cidade? 
Praga é enorme, enorme mesmo! Por mais que você explore, sempre há algo para ver. O problema de cidades grandes é que elas são muito parecidas em alguns aspectos. Tanto Praga, quanto Berlin ou o Rio, que são cidades grandes, são sujas, com lugares mal cuidados, fedidos e cheios de bêbados e/ou drogados. Como moro há anos em cidade pequena, onde tudo é quase sempre bem limpo, por exemplo, esses problemas das grandes cidades me saltam aos olhos muito mais. Talvez se eu saísse direto do Rio para Praga não notasse muito tudo isso.


Mas vamos falar de coisas que eu amei, como a arquitetura linda de Praga. A foto acima é a sinagoga jubileu. Nunca tinha visto nada desse tipo. Pena que é tao difícil fotografar, porque a rua é estreita. Aliás, tudo é complicado de fotografar. Além da arquitetura ser enorme, há muuuuuiitos turistas e parece que se você parar para tirar uma foto a multidão vai te levar com ela. Acabei tirando várias fotos na correria e nos ângulos mais loucos. Mas talvez essa seja a época mais cheia do ano, o verão, já que todo mundo quer tirar férias agora. Penso em voltar no outono e espero encontrar menos pessoas.


A foto acima é da Torre Saint Henry, que é a torre do sino da igreja de mesmo nome. Essa igreja possui seu próprio campanário, mas na época de sua construção acreditaram que ela não seria forte o suficiente para sustentar um sino pesado. Então construíram outra torre separada da igreja para o sino. Porém durante as guerras, os sinos dos campanários da cidade eram sempre confiscados, já que eram uma fonte fácil de metal. Hoje em dia no local funcionam cafés e restaurantes.



a torre em detalhes
 Abaixo são alguns prédios da praça Senovážné, na região da Nové Město (cidade nova), perto da estação de trem principal.




Centro de Conferências do banco nacional tcheco, também na praça Senovážné.
Um dos transportes mais usados em Praga são os trams (não sei como chamam isso em português, em alemão dizemos Straßenbahn, ou seja, trem de rua). São mais de 900 trams na cidade e dá para chegar em quase toda esquina com eles.



Nas fotos seguintes algumas construções e ruas perto da Ponte Carlos, já na Staré Město (cidade antiga). Tem como não se apaixonar por essa arquitetura?







Abaixo fotos de umas construções no final da Ponte Carlos. 




Esse é o Rio Moldava (Vltava em tcheco) visto da Ponte Carlos. Esse é o maior rio da República Tcheca, percorrendo 435 KM, ele chega até a Alemanha quando se funde com o Rio Elba. O Elba por sua vez, marcou a divisão entre os antigos dois Estados alemães (ocidental e oriental). É muita história por essas águas, não é?



Aqui a torre do sino da igreja de São Nicolau (Kostel svatého Mikuláše), também do outro lado da Ponte Carlos.




Por falar em Ponte Carlos, ela estava absurdamente cheia! Por lá tem vários músicos, pintores e caricaturistas. Mas eu vi também pedintes, alguns com cachorros, algo que me deu muita pena dos animais. Porque estava um calor infernal e mesmo que o dono deixasse a água do animal ali do lado, a água estaria quente! Também fiquei me questionando se essas pessoas que pedem dinheiro com animais cuidam deles direito ou só aproveitam dos bichinhos para ganhar dinheiro. Pelo que vi, bastante gente dá dinheiro para essas pessoas.


Bem, mas falando dos turistas na ponte, me pareceu que 90% deles eram orientais. Sem brincadeira, me senti em algum lugar da China ou Coréia. Tinha muito mais orientais do que qualquer outra nacionalidade.


Ah algo que vi bastante em Praga foram as ofertas de massagem tailandesa. Uma propaganda que me chamou atenção foi desse carro aqui. Porque esse é o Trabant, o carro símbolo da Alemanha Oriental e que muita gente dirige até hoje aqui onde eu moro (que era a região oriental mesmo). Foi meio engraçado encontrar isso em Praga.


Note que o preço está em euros, mas a moeda tcheca é a coroa. Mesmo assim em Praga há alguns estabelecimentos que aceitam pagamento em euros, só que sai um pouco mais caro, claro.




Bem, acho que já falei bastante aqui. Em outro post continuarei a falar de Praga. Espero que tenham gostado de conhecer um pouquinho da cidade pelas minhas fotos!

15 comentários:

  1. Já ouvi falar muito desse lugar, quero muito conhecer !
    As fotos estão encantadora<3

    www.sindromedoluxo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Que lugar maravilhoso!
    Um sonho mesmo! Tenho muita vontade de conhecer
    As fotos ficaram encantadoras ♥

    beeijos
    http://tudonodup.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Vê.
    Nossa fiquei encantada pelas fotos. Ano passado teve uma JMJ e a cidade escolhida foi a Cracóvia, mas o pessoa da minha igreja ficou a maior parte do tempo entre Alemanha e Praga, e conheceram muitos lugares. Infelizmente não pude ir, mas esses lugares estão na minha lista de lugares pra conhecer quando tiver a oportunidade. E com toda certeza vou pra tudo quanto é lugar de trem, porque quero ver o máximo das paisagens daí, pois devem ser maravilhosas.
    ps: Esse trenhosinho de rua parece um bondinho.
    bjus,
    Amanda Almeida
    http://blog.amanda-almeida.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que você possa conhecer sim, tenho certeza que você vai amar. E trem é a melhor forma de se locomover, além de barato, a paisagem é linda e vale a pena ver. :)

      Ahhh verdade, acho que o nome seria bondinho mesmo! Acho que é o mesmo mecanismo. Obrigada por me avisar :D

      beijos

      Excluir
  4. Adorei ver as fotos e seu relato!
    Em Maio fotografei um casal que mora em Praga- ela é brasileira e ele é Tcheco... vi eles conversando em Tcheco e achei bem estranho hahha
    Aguardo mais posts e fotos!
    Beijos!
    A Menina da Janela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. awwhh amores binacionais <3 haha
      Tcheco soa bem estranho ao meu ouvido também, mas acho que quando a gente acostuma com a língua soa melhor hahaha

      logo logo posto mais fotos ;)

      beijos

      Excluir
  5. Que linda a cidade. Nunca tinha pensado em Praga como um destino que quisesse ir mas talvez precise conhecer um pouquinho mais da cidade :)
    Achei muito engraçado você contando sobre os ângulos estranhos que usou para fotografar porque já tive que fazer isso algumas vezes e é bem complicado mesmo, hahah
    Ótimo post, beijo!

    Sorriso Espontâneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Praga é um ótimo destino e barata também se comparar com outras capitais ;)
      Fico feliz que tneha gostado do post :D

      beijos

      Excluir
  6. Amei ler a sua experiência e ainda mais ver os clicks desse lugar tão lindo.
    É um dos lugares que quero (pretendo) visitar futuramente <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Glaycy! Visite Praga sim, vale super a pena ;)

      Excluir
  7. Que fotos lindas! ❤ Praga parece incrível, amei o relato!

    ResponderExcluir
  8. Que delícia ver Praga pelas tuas fotos! Ainda não conheço, mas espero poder visitar no ano que vem. O tcheco é bem parecido com o ucraniano e o polonês e eu até consigo entender algumas palavras. Entendo perfeitamente essa dificuldade para fotografar. Acabo sempre apontanto a câmera para cima quando está muito cheio de gente.

    ResponderExcluir

Safelight-room © , Todos os direitos reservados. Layout base por Sadaf F K. com modificacoes feitas por mim, Vanessa S.